Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Piadas de audiências

05/02/2008 às 16h11min Paulo Gustavopiadas

O réu, acusado de matar sua própria esposa, narrava como aconteceram os fatos:

– Eu voltei para casa um pouco mais cedo que de costume e encontrei minha mulher na cama com meu melhor amigo. Daí eu não resisti e matei minha mulher.

O juiz ouviu tudo, folheou rapidamente os autos e perguntou, intrigado:

– Mas não existe nada sobre seu melhor amigo no processo. O senhor poderia dizer o que aconteceu com ele?

– Bem, meritíssimo, eu apontei o dedo para ele e disse: “Rex, cachorro feioso, cachorro feioso!”


O juiz, estranhando que o réu comparecia sozinho à audiência, perguntou:

– O senhor não trouxe o advogado?

– Não, meritíssimo! Eu não tenho advogado. Resolvi falar a verdade!


Nos Estados Unidos, o promotor interroga diretamente o réu:

– É verdade que você aceitou dez mil reais para encobrir este caso?

A testemunha, com o olhar perdido, distraída, nada respondeu. O promotor repetiu:

– É verdade que você aceitou dez mil reais para encobrir este caso?

Como a testemunha continuava sem responder, o juiz interveio:

– Cavalheiro, por favor, responda à questão.

A testemunha, surpresa:

– Oh! Desculpe, eu pensei que ele estava falando com o senhor.

Escreva seu comentário

(não será publicado)

(opcional)