Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Defesa concisa

07/02/2008 às 23h31min Paulo Gustavoadvogados

Uma jovem advogada, que acabara de receber a carteirinha da OAB, adentrou nervosamente o salão do Tribunal do Júri de São Paulo para a sua primeira defesa.

Concedida a palavra, a causídica se levantou, fez as saudações de praxe, falou por apenas alguns minutos e depois sentou em sua cadeira.

O juiz acompanhou tudo aquilo, aguardou alguns instantes, ficou aflito, insistiu:

– A defesa está com a palavra…

A jovem, toda importante com suas vestes talares, respondeu:

– Eu já terminei, estou satisfeita, não tenho mais o que falar…

O juiz não hesitou: suspendeu a sessão e declarou o réu indefeso.

A história é narrada por Vitorino Castelo Branco, no livro Curso de Português Jurídico, de Regina Toledo Damião e Antonio Henriques.

Escreva seu comentário

(não será publicado)

(opcional)