Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

O preparo da estagiária

10/02/2008 às 21h21min Paulo Gustavoestagiários

Cármen Lúcia Antunes da Rocha, antes de ser ministra do Supremo Tribunal Federal, foi advogada e Procuradora do Estado de Minas Gerais.

Conta ela que, certa vez, colocou sua filha, que andava meio contrariada com o curso de Direito, para estagiar no escritório de advocacia de uma amiga.

A advogada deu-lhe a incumbência de dar entrada num processo. A garota foi à distribuição, protocolou a petição, recolheu a taxa judiciária no banco Depois, dirigiu-se à secretaria da vara para verificar se estava tudo certo.

A serventuária respondeu que faltava apenas “preparar” o processo.

A estagiária compulsou os autos, verificou se faltava algo, e retrucou:

– Mas está tudo preparado!

Segurando o riso, a serventuária explicou que o “preparo” do processo é um valor a ser pago a título de adiantamento das custas.

Indignada, a estagiária armou o maior barraco no fórum, gritando a altos brados.

– Ah! Já entendi o que você quer! Mas isto não é “preparo”! Isto é “propina”!

O constrangimento foi grande.

A Ministra, então advogada, teve que depois ir se desculpar com os funcionários da secretaria.

E a estagiária acabou abandonando o curso de Direito.

Este artigo já recebeu 4 Comentários

  1. Gostei muito da piada, se é que posso chamar assim, pois quem ainda não passou por coisas parecidas que atire a primeira pedra

  2. Caros Colegas,
    Achei muito oportuno o artigo referente ao “preparo da estagiária”, na oportunidade, venho positivar que “nem sempre filho de peixe peixinho é”.
    Sds.

  3. Interessante, mas…é necessário passar por esse ESTAGIO para então não cometer outras gafis quando estiver advogando!

    Saudaçãoes.

  4. Estagiário sofre, mas, bem ou mal, aprende. Aprende ou desiste do curso. haushas

Escreva seu comentário

(não será publicado)

(opcional)