Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Marketing do divórcio 2

14/03/2008 às 15h54min Paulo Gustavoadvogados

Há alguns dias, mostramos aqui um anúncio, voltado para a clientela masculina, em que um escritório de advocacia canadense oferecia seus serviços de assessoria em processos de divórcio.

Muitos acharam que o reclame, apesar de criativo, era ofensivo e machista.

Bem, nos Estados Unidos, a publicidade na advocacia costuma usar menos sutilezas.

Veja só o anúncio de um escritório de uma banca de advogadas de Chicago, que supera o outro em agressividade, mas pelo menos é unissex

Tradução do texto: A vida é curta. Peça divórcio.
Tradução do texto: A vida é curta. Peça divórcio.

Detalhe: os anúncios não foram veiculados em revistas ou jornais, mas em outdoors:

Este outdoor foi colocado numa região de bares noturnos conhecida como Triângulo do Viagra.
Este outdoor foi colocado numa região de bares noturnos conhecida como Triângulo do Viagra.

Como era de se esperar, a propaganda teve amplo destaque na imprensa. Pelo menos um cartaz foi retirado devido a reclamações.

A campanha publicitária começou em maio de 2007 e houve uma seqüência no mês seguinte, com outro slogan:

Tradução do texto: Assuma o controle. Peça divórcio.
Tradução do texto: Assuma o controle. Peça divórcio.

A principal sócia do escritório, Corri Fetman, adotou o apelido de “Advogada do Amor” e virou colunista da Playboy americana, tratando de… bem, digamos, assuntos jurídicos.

A advogada Corri Fetman posa diante de um outdoor móvel da sua campanha.
A advogada Corri Fetman posa diante de um outdoor móvel da sua campanha.

Mais ainda: a modelo que ilustra os anúncios é também ela, a própria dona do escritório – que, graças a seus dotes profissionais, também fez um… bem, digamos, ensaio fotográfico de nu artístico publicado na edição de fevereiro da mesma revista.

Recomendamos a leitura deste post do blog marketingLEGAL, que criticou o anúncio sob a visão do marketing jurídico, e também deste post do blog Advocacia Psicótica.

(Fotos: Divulgação e DayLife.com)

Este artigo já recebeu 3 Comentários

  1. Opa, quando eu estiver em casa vou procurar esse ensaio.

  2. Realmente, a que ponto chegamos. É ridículo como o casamento tem sido DESVALORIZADO.
    Sou casado, amo minha esposa, e creio que uma propaganda dessa jamais influenciaria minha mente. Porém, sabemos muito bem que isso age, sim, na cabeça de muitos! Digamos que “dá uma forcinha”, encoraja a pessoa, infeliz ou não no casamento, a se divorciar.
    Ridículo!

  3. Pergunto. Que moral tem a dita cuja para advogar?

Escreva seu comentário

(não será publicado)

(opcional)