Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Papo entre divindades

17/03/2008 às 8h01min Paulo Gustavojuízes

A juíza de certa Vara Cível do Rio de Janeiro (RJ) prefere despachar os advogados a despachar com eles.

Por isso, mandou afixar na porta de seu gabinete um cartaz segundo o qual se dispõe a tratar somente com pares como Buda, Maomé e Jesus Cristo:

O fato ocorreu em julho de 2004, tal como noticiado pelo jornalista Ancelmo Gois.

Os advogados chiaram e foram reclamar na OAB (não havia CNJ naquele tempo). Dizem que um advogado, chamado Moisés, não teve do que reclamar.

Este artigo já recebeu 4 Comentários

  1. Sinceramente, é diminuir muito os interesses dos litigantes, com este recado soberbo, achar que somente as pessoas muito importantes pelo seu status merecem serem recebidas, neste caso, todos estão desencarnados, e nós pobres mortais que deixamos nossa liberdade nas mãos de pessoas tão imaturas sofremos ao vermos nossos direitos sendo mitigados.

  2. Cada uma!
    Acho que a Dona, ops,perdão, Juiza, está se sentindo fora da lata?!

  3. [...] porém, foi a fundamentação. O juiz começou citando Cristo, Buda e Gandhi, para terminar com George W. Bush. Ao longo do texto, elencou vários motivos, para [...]

  4. OH! SEMIDEUSA ENTRONADA…

    QUE MOISÉS TOME CUIDADO, AFINAL, V. EXCIA ESTÁ MAIS PARA A RAINHA DO EGITO.

    QUE CRISTO NOS ACUDA…

    PAIVA.

Escreva seu comentário

(não será publicado)

(opcional)