Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Artigos da Categoria estudantes

Respostas de provas

06/02/2008 às 20h41min Paulo Gustavoestudantes

Prova de Direito Civil.

“O que são bens fungíveis?”

“São aqueles que se movem, que podem fugir, se não forem devidamente vigiados.”


Prova de Direito Penal numa faculdade de Direito no Estado de São Paulo.

“O que é injúria real?”

“É um crime já em desuso no Brasil, já que foi criado para proteger a família real portuguesa quando visitavam nosso país.”


Exame de ordem.

“O que é ordem de vocação hereditária?”

“É quando o filho segue a mesma profissão do pai, ou seja, filho de peixe, peixinho é.”

“O que é Fazenda Pública?”

“É uma propriedade agrícola do governo a que todos têm livre acesso.”

(Fonte: Folha de S.Paulo)


Prova na Itália.

“Defina casamento.”

“É a união entre duas ou mais pessoas.”

(Fonte: Folha de S.Paulo)

Perguntas e respostas em sala de aula

05/02/2008 às 21h09min Paulo Gustavoestudantes

Na faculdade de Direito, o professor pergunta:

– Qual o contrário de “a priori“?

Mais do que depressa, um aluno responde:

– Ora, professor… a melhore.


Após discorrer sobre os vícios da vontade (defeitos que invalidam um ato jurídico), o professor indaga a uma aluna qual dos vícios ela mais apreciava (estudar, é óbvio).

Olhando fixamente nos olhos do examinador, a candidata responde, lânguida:

– A violência física, professor.


No exame da ordem no Paraná, o examinador da disciplina Direito Penal pediu ao bacharel:

– Fale-me da co-autoria e a distinga da participação.

O candidato respondeu:

– Será que o senhor não poderia fazer uma pergunta mais fácil? No futuro, não serei penalista. Quero ser juiz de direito.

(Adaptado de artigo do advogado Rolf Koerner Júnior, publicado na coletânea “O Pitoresco na Advocacia”, coord. Fernandino Caldeira de Andrada, Curitiba, Associação Cultural Avelino A. Vieira, 1990)


Um professor do direito da UFRGS, que depois foi ministro do Supremo, dava uma aula propedêutica sobre o Direito. Escolheu um aluno e perguntou:

– Dê-me uma definição para “o que é o Direito?”

O aluno pensou um pouco e respondeu:

– O direito é a auréola dourada sobre a qual se assenta a sociedade.

Imediatamente, o professor retrucou:

– O senhor acabou de definir o penico, agora defina o Direito!

Ajuda aos universitários

03/02/2008 às 20h50min Paulo Gustavoestudantes

Numa faculdade paulista, durante aula sobre o art. 121 do Código Penal, o professor deu o famoso exemplo de Damásio, do copo de veneno deixado sobre o piano, explicando em que condições seria homicídio ou tentativa e assim por diante.

Um aluno, com a palma da mão totalmente aberta e para cima, indagou:

– Fessorrrr, tem dois pobrema, se eu coloca o copo no piano, pro sinhô toma, eu esquece e bebe, quem que morre?


Um grupo de colegas estudava para concursos, quando, no tema “formas de extinção das obrigações”, levantou-se a forma denominada “confusão“.

Eis que uma das colegas se levantou, indignada:

– Que absurdo! Quer dizer que na porrada pode se extinguir uma obrigação?

Dólar de placa

01/02/2008 às 21h48min Paulo Gustavoestudantes

Em plena crise cambial, a turma de bacharelandos em Direito do 1º semestre do ano de 1999 da Universidade Federal de Sergipe escolheu, como “nome da turma”, a seguinte expressão parafrástica:

“Ó Pátria Amada, em dólar atada, salve!, salve!”

Quem duvidar pode dar uma olhada na placa comemorativa afixada na parede do corredor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UFS, em frente ao Departamento de Direito.

(Fonte: Antonio Waldir dos Santos Conceição)