Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Artigos com o marcador inglaterra

Honorários ou michê?

31/03/2009 às 22h03min Paulo Gustavoadvogados

Na Inglaterra, o advogado Marc Beaumont está sendo processado por uma ex-cliente por ter se excedido na cobrança de honorários.

O advogado defendia a tal mulher num processo administrativo. Além da taxa fixa, cobrava um extra de 250 libras por hora em caso de trabalhos urgentes.

Num certo dia, resolveram fazer serão num hotel, ocasião em que dividiram uma garrafa de vinho e fizeram sexo. O encontro aconteceu enquanto a mulher e os filhos do causídico estavam viajando.

Acontece que a hora de execução desse “serviço” foi incluído na cobrança.

Agora, a ex-cliente quer uma indenização de 800 mil libras.

A defesa do advogado, por sua vez, poderá alegar que era exigência do serviço levar a cliente à vara.

(Com informações de The Sun, Mail Online e GeekLawyer’s Blog)

A desconfiança do policial

07/04/2008 às 9h12min Paulo Gustavoadvogados

Numa audiência criminal num tribunal da Inglaterra, o advogado de defesa interrogava um policial, tentando questionar a sua credibilidade:

– Você viu o meu cliente fugir da cena do crime?
– Não, senhor. Mas observei logo em seguida um elemento com a descrição do criminoso correndo a algumas quadras de distância.

– E quem forneceu a descrição do criminoso?
– O policial que chegou primeiro ao local do crime.

– Um colega policial forneceu as características do suposto criminoso. Você confia nos seus colegas policiais?
– Sim, senhor. Confio a minha vida.

– A sua vida? Deixe-me fazer uma pergunta. Na sua delegacia, existe um lugar onde vocês trocam de roupa antes de sair para trabalhar?
– Sim, senhor, temos um vestiário.

– E vocês trancam a porta com chaves?
– Sim, senhor, nós trancamos.

– E o seu armário, você também tranca com cadeado?
– Sim, senhor, eu tranco.

– Por que então, policial, você tranca seu armário, se quem divide o vestiário com você é o mesmo colega a quem você confia sua vida?
– Veja bem, doutor, nós estamos dividindo o prédio com o Tribunal de Justiça, e algumas vezes nós vemos advogados andando perto do vestiário…

Li o “causo” no blog Direito e Trabalho, que reproduziu do blog Caso de Polícia, que por sua vez traduziu de um blog policial inglês.

Seguro de riso

05/02/2008 às 21h41min Paulo Gustavoperitos

Desculpas criativas utilizadas em processos e mesmo em formulários e cartas, constantes nos arquivos de companhias de seguro da França, dos EUA e da Inglaterra:


SEGURO DE AUTOMÓVEL

Causas do acidente

  • “Eu dirigi meu carro durante quarenta anos quando dormi na direção e tive esse acidente.”
  • “Eu pensava que meu vidro estava abaixado, mas percebi que não era o caso quando minha cabeça passou por ele.”
  • “Vidro do parabrisa quebrado. Causa desconhecida. Provavelmente fenômeno sobrenatural.”
  • “A causa indireta do acidente é um homenzinho, num carrinho, com uma grande boca.”
  • “Eu me afastei do acostamento, dei uma olhada na minha sogra e me dirigi direto para o barranco.”
  • “Eu não sabia que a limitação de velocidade se aplicava depois da meia-noite.”
  • “Eu estava a 110-120 km/h quando minha garota que estava sentada no banco de trás agarrou meus testículos. Foi nesse momento que eu perdi o controle do carro.”
  • “Eu tinha passado o dia a fazer compras de plantas e estava voltando para casa. Chegando num cruzamento, uma cerca viva levantou-se na minha frente e não vi a aproximação do outro carro.”
  • “Eu estava fazendo a curva quando notei um camelo e um elefante amarrados no acostamento. A distração me fez perder a concentração e bater no poste de sinalização.”
  • “Eu não sabia que a cadela era muito possessiva com seu carro, mas não teria lhe pedido para dirigir se eu soubesse que haveria algum risco.”
  • “Percebi que saia fumaça debaixo do capô. Compreendi que o carro estava pegando fogo, então peguei meu cachorro e o sufoquei num cobertor.”

Danos

  • “Meu carro sofreu importantes danos corporais.”
  • “Depois do acidente do mês passado, meu carro foi convocado pelo inspetor para mostrar os danos.”
  • “Eu disse ao policial que não estava ferido, mas, tirando meu chapéu, vi que eu estava com uma fratura do crânio.”

Acidentes envolvendo outros veículos

  • “Bati num caminhão estacionado que vinha em sentido contrário.”
  • “O outro carro bateu no meu sem dar sinal das suas intenções.”
  • “O outro motorista pode ser culpado por estar dirigindo de uma maneira erótica.”
  • “Comecei a reduzir, mas o tráfego estava mais imóvel do que eu imaginava.”
  • “Um caminhão recuou no meu pára-brisa e no rosto de minha mulher.”

Acidentes envolvendo objetos

  • “Na tentativa de matar uma mosca, eu passei por cima de um telefone público.”
  • “O poste de telefone aproximava-se rapidamente, tentei evitá-lo mas ele bateu antes em meu carro.”
  • “Fui atingido repentinamente por um poste de luz.”
  • “Quando voltava para casa, entrei na casa errada e bati em uma árvore que não tenho.”

Acidentes envolvendo pedestres

  • “O pedestre não tinha para onde ir, então passei em cima dele.”
  • “O homem ocupava a rua toda e tive que fazer várias manobras antes de bater nele.”
  • “O carro que me precedia bateu no pedestre, mas ele se levantou e eu o atropelei novamente.”
  • “Para evitar bater no pára-choques do carro que vinha na minha frente, eu bati no pedestre.”

Acidentes envolvendo ciclistas

  • “Primeiro eu lhes digo bom dia, depois eu lhes escrevo para dizer que uma senhora arranhou meu carro com a bicicleta dela.”

SEGURO DE VIDA

  • “Tenho dúvidas quanto ao meu seguro de vida: tenho vantagem em falecer imediatamente ou é preferível esperar a idade de aposentar?”

SEGURO DE SAÚDE

  • “Gostaria de saber em que idade as crianças mudam de preço.”
  • “Já que meu seguro-saúde se estende às pessoas sob minha guarda, posso reclamar pelo meu cachorro?”
  • “É verdade que meu cachorro mordeu o garotinho enquanto estavam brincando juntos, mas eu não estava suficientemente perto para dizer qual dos dois começou a morder o outro primeiro.”
  • “No que diz respeito a sua consulta dentária relativa ao aparelho, os dentes da minha frente estão muito bem, mas os do meu traseiro doem.”

SEGURO DE CASA E VALORES

  • “Minha esposa não cozinha pior do que qualquer outra, mas eu estaria mais tranqüilo se fosse acrescentada no contrato do seguro de minha casa uma garantia contra intoxicações alimentares.”
  • “Poderia me fornecer a data de vencimento de meu seguro de incêndio para que eu saiba até quando eu posso reclamar?”
  • “Meu cachorro engoliu os brincos de ouro de minha mulher. Eles valem cerca de dois mil dólares. Eles estavam no criado-mudo. O cachorro os viu, saltou e os engoliu. Vocês me pediram para verificar se eu não poderia encontrá-los. Eu gostaria de saber por quanto tempo eu devo verificar os excrementos de meu cão.”

PROVIDÊNCIAS ADMINISTRATIVAS

  • “Mando-lhes em anexo a fatura que me foi solicitada. Se vocês não a receberem, queiram me comunicar.”
  • “No momento, meu marido está falecido.”

QUESTIONÁRIO Nº 1

P: “Algum dos motoristas poderia ter feito algo para evitar o acidente?”
R: “Pegar o ônibus?”


QUESTIONÁRIO Nº 2

P: “Que aviso foi usado?”
R: “Buzinei.”
P: “Qual foi a resposta da outra parte?”
R: “Ela mugiu.”


(Fonte: e-mail de Milton Roberto y Goya, e lista de piadas de Roger Chadel)

Leis curiosas pelo mundo

03/02/2008 às 13h17min Paulo Gustavoleis esquisitas

Uma seleção de leis curiosas, vigentes pelos mais diversos países do mundo:

Canadá

  • Calgary: é ilegal atirar bolas de neve ou estourar bombinhas sem autorização do prefeito.
  • Edmonton: todos os ciclistas devem sinalizar com o braço antes de fazer uma curva. Todos os ciclistas devem manter as suas mãos no guidão o tempo todo.
  • Montreal: os donos de cinemas não podem iniciar um filme que termine após as duas horas da manhã.
  • Ottawa: crianças não podem comer sorvetes de casquinha nas ruas da cidade no Sabbath.
  • Saskatoon: é ilegal tentar pegar peixes com as mãos.
  • Toronto: é proibido serrar madeira na rua, ou lavar carros.
  • Victoria: é proibido usar roupas de banho para tomar banho de sol em qualquer parque da cidade.
  • Windsor: é proibido tocar instrumentos musicais em parques.
  • Winnipeg, Manitoba: é proibido golpear a calçada com objetos de metal.
  • Burnaby: todos os cachorros devem estar sob controle às 10 da manhã, ou seus donos serão punidos.
  • Colúmbia Britânica: qualquer pessoa que interromper uma reunião do Comitê de Controle do Estado pode ser presa.
  • Winnipeg, Manitoba: é ilegal ficar nu em sua própria casa se as venezianas estiverem abertas.
  • Edmonton, Alberta: nenhum homem pode beber com uma mulher numa sala de cervejaria.
  • Halifax, Nova Escócia: é proibido golpear madeira com machado na calçada.
  • Jasper Gates, Edmonton: uma lei de 1920 diz que nenhum veículo pode andar mais rápido que a velocidade máxima de um cavalo ou carruagem.

Outros países

  • Atenas, Grécia: quem dirigir mal vestido pode ter sua carteira de habilitação apreendida.
  • Warrington, Inglaterra: são proibidos beijos de despedida nas estações de trem.
  • Inglaterra: é proibido se beijar dentro de cinemas.
  • Micronésia: os homens são proibidos de usar gravata.
  • Finlândia: é proibido o casamento de analfabetos.
  • Japão: é proibido comprar ou comer arroz importado.
  • San Salvador, El Salvador: a punição para dirigir bêbado era fuzilamento.
  • Afeganistão: a duríssima legislação islâmica impede que as mulheres sequer façam barulho com os sapatos enquanto andam.

(Fontes: Nic’s Home Page, Guia dos Curiosos, e-mails de Luís de Castro)

Inglaterra libera bailes aos domingos

01/02/2008 às 15h56min Paulo Gustavoleis esquisitas

Em janeiro de 2000, o Yahoo! noticiou um projeto de lei para revogar uma lei inglesa de 220 anos que proibia a exploração comercial de bailes aos domingos.

As pessoas que iam a discotecas nesse dia tinham que driblar a lei, pagando uma cota como sócios em vez de pagar entrada. As normas da Lei de Observação do Domingo, de 1780, também regulamentavam o funcionamento de teatros, cinemas, lojas, galerias de arte e eventos esportivos.