Ir direto ao conteúdo

Página Legal

O cotidiano jurídico com muito bom humor

Por Paulo Gustavo Sampaio Andrade, advogado.

Artigos com o marcador quintino cunha

A citação do grande jurista

03/03/2008 às 18h03min Paulo Gustavoadvogados

Quintino Cunha, folclórico advogado que viveu no Ceará no início do século passado, certa vez foi contratado para a defesa de um réu no tribunal do júri em Natal (RN).

O promotor, recém-empossado, estava encantando os jurados com citações de três grandes juristas franceses em defesa de sua tese.

Quintino não ficou para trás. Na sua vez, também fez diversas citações:

– O mestre Filomeno Gomes nos ensinou que “a lei não deve ser flexível, e sim rígida, coesa, soberana e forte”…

O réu terminou absolvido. Na saída, o assistente da acusação procurou Quintino para conversar:

O advogado da acusação dirigiu-se depois, solene, ao Quintino:

– Nobre colega, por favor, onde posso encontrar o livro que traz a citação do grande jurista Filomeno Gomes…

– Coisa nenhuma! Filomeno Gomes é um fabricante de cigarros lá do Ceará…

(Fonte: “Anedotas do Quintino”, de Plautus Cunha – citado pelo site Ceará Moleque)

Legítima defesa da paciência

07/02/2008 às 8h24min Paulo Gustavoadvogados

Quintino Cunha (1875-1943), poeta e advogado criminalista, foi uma figura folclórica cearense.

Conta o site Ceará Moleque que a seguinte história, que se tornou célebre, é uma das várias que lhe aconteceram.

Certa feita, Quintino foi contratado para defender um bêbado acusado de assassinar um cidadão rico que sempre o insultava na rua.

No tribunal do júri, dirigiu-se ao Juiz da seguinte forma:

– Meritíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito. Meritíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito. Meritíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito. Meritíssimo Senhor Doutor Juiz…

A estas alturas, o juiz, já impaciente, interrompe:

– Um momento, doutor! O senhor vai fazer a sua sustentação oral ou não?

E então o advogado responde:

– Pois então, excelência… eu lhe chamei quatro vezes de um título que honrosamente lhe pertence e o senhor me interrompeu, visivelmente irritado… Imagine se eu passasse todos os dias em sua frente, durante vários anos, e lhe chamasse com os piores insultos… o senhor não me daria um tiro?

(Foto: caricatura feita por Plautus Cunha)